Skip to content
29/07/2015 / Paulo Wainberg

Metas

Ah a meta, essa vaga ambição que nos impele a seguir, mesmo quando não temos nenhuma. Perseguir a meta que não se tem torna a vida emocionante, principalmente porque você declara, sem pudor e sem medo de errar, que ao alcançá-la, vai dobrá-la. Se você vai dobrar a meta que não tem, você tende a ficar sem duas metas, tornando sua vida ainda mais interessante. Há-que compreender a qualidade da nossa expectativa que, assim como a meta que não se tem, inexiste. E no entanto, é preciso acreditar, mesmo que numa meta inexistente porque um dia, de repente, ela aparece diante de você, deixa você embasbacado, de boca aberta e com uma terrível pergunta a torturá-lo: E agora?

One Comment

Deixe um Comentário
  1. Claudia Pechansky / Jul 29 2015 19:36

    Sensacional !!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: