Skip to content
23/06/2013 / Paulo Wainberg

Pauliana de domingo

Tenho um eu otimista crônico e um eu pessimista nato. Vez que outra, um conversa com o outro, estabelecendo um monólogo interior que, quando resolve emergir da escuridão, faz questão de arrumar companhia para retornar à escuridão.

Meio esquizofrênico, meu lado paranoico não se contenta em ser bipolar, quer ser tri, tetra, quiças pentapolar, revelando um tipo de megalomania que minhas neuroses normais não conseguem controlar.

Psicótico como poucos, meu ser desfragmentado adora pegar peças no id que, como aprendi nas palavras cruzadas, é o aspecto instintivo da psique, fazendo com que meu it natural, meu sexappeal e todas as taras que me comovem sejam relegadas, definitivamente, ao plano sub-reptício de meu inconsciente coletivo.

Meu lado depressivo diverte-se à custa do meu lado eufórico, sabendo que dia de festa é véspera de muita dor, frase que copio descaradamente de V. M. o grande poetinha ou poeta grandinho, é nisto que reside afinal a grande diferença.

Meu lado contraditório invade meu lado lógico para mostrar que nem sempre a origem da vida coincide com a finalidade da vida, basta ver que muitos peixes têm origem na água do rio, passam a vida num aquário e acabam nas águas revoltas da privada.

Como eu disse lá no início…

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: