Skip to content
21/05/2013 / Paulo Wainberg

Lombrigas

Quem me dera ser uma borboleta para escapar desta sensação de ser um verme.

Advertisements

One Comment

Deixe um Comentário
  1. Paulo Bentancur / Maio 22 2013 9:35

    Poema cuja forma tem a leveza de um Leminski mas o peso (em significado) de um Augusto dos Anjos. Ótimo domínio de síntese (este outro nome da poesia) e poder imagético. Lirismo pra valer é sobretudo imagem.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: