Skip to content
04/04/2013 / Paulo Wainberg

Metáfora parabólica

Metáfora é uma parábola em linha reta.

Sim, eu sei o motivo de ter pensado nisto.

É que outro dia escrevi que parábola é uma metáfora em curva, daí, seguindo a sempre pertinente teoria dos contrários, surgiu o pensamento com a naturalidade de quem afoga um peixe na água.

Sim, talvez você não saiba, mas é possível afogar um peixe na água. Pegue um peixe de água doce, um lambari eu acho, e jogue o animal na água salgada, no mar por exemplo, e o lambari morre na hora e afogado.

Neste momento deixo a você a aplicação da teoria dos contrários, para entender perfeitamente a explicação.

O que realmente aconteceu é que eu fazia uma trilha num mato desconhecido e, de repente, apareceu um lago na minha frente. Como estava com calor e não havia ninguém por perto, tirei a roupa e me joguei nas águas límpidas, doces e transparentes do lago, além de frescas.

Deliciei-me uns quinze minutos e saí, seduzido pela ideia de secar-me à brisa e aos tênues raios de sol que perfuravam as folhas das árvores.

Adormeci logo em seguida e, quando acordei, estava trinta anos mais moço.

Não me preocupei porque, na minha concepção de vida, eu jamais deveria envelhecer além dos trinta anos, nem na aparência nem na mentalidade, um pouquinho na mentalidade, talvez.

Tudo o que eu não gostava em mim tinha desaparecido, rugas, barriga, flacidez, cabelos brancos, colesterol, triglicerídeos e ácido úrico, além das hérnias de disco e necessidade de usar óculos.

“Quê coisa”, pensei, “descobri a fonte da juventude”. E meu nome nem era Ponce de Leon.

Foi um sucesso interior, o início de um sacerdócio privatizado no qual eu seria o pregador e o objeto da pregação.

Estava assim exaltado e exultante quando acordei de novo. Tinha sido um sonho. Um sonho que sonhei na minha cama, seria absolutamente impossível que eu estivesse fazendo uma trilha em qualquer lugar deste mundo.

Mas foi um sonho bom, daqueles que não gostamos de acordar.

Apenas para ter certeza, vamos que… Fui para a frente do espelho. Sim, tinha sido apenas um sonho.

Como falei, a metáfora é uma parábola em linha reta.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: