Skip to content
15/03/2013 / Paulo Wainberg

Vias de fato

Prestes a chegar às vias de fato comigo mesmo, interrompi a bofetada que ia desferir na minha bochecha direita. Os motivos da auto violência são por demais conhecidos por mim, a indolência, amorfia (?), tédio, atesão (?), desânimo, desagrado, desconforto, inclusive muscular, sensação de estar afundando no poço sem fundo, confusão emocional, tristeza e outras coisas menos importantes como desejo de ser fulminado por um ataque mortal ou comer um galeto com polenta antes disso, desejo de visitar parentes, mas antes ir a um puteiro, desejo de dormir e nunca mais acordar. E outras coisas que as pessoas sentem e, assim como eu, vão em frente, contra tudo e contra si, na ilusão de que tudo é passageiro e o que é passageiro não fica, portanto mal não faz.

O que interrompeu a auto bofetada foi a curiosidade sobre o significado da expressão vias de fato, curiosidade cuja satisfação me deu novo alento para continuar vivo.

Sim, o que significa vias de fato?

Olhando assim como não quer nada, significa agressão física, socos, pontapés, arranhões, no saco não! No saco não! gritaria um, na iminência de um pontapé.

Mas por que? Por que vias de fato significa isto? Qual a origem dessa expressão para definir a violência física?

Eu, como homem, não paro para perguntar o caminho, quando dirijo.

E também, porque não sou homem dessa estirpe, não fui perguntar ao Google o origem do vias da fato, preferindo resolver a equação por mim mesmo, de acordo com minha lógica sobrenatural e meus recursos tridimensionais, preferência que me rendeu uma segunda época em Física que quase me fez perder o ano.

Segurei minha mão direita, que ia me esbofetear, mediante o artifício de usar a mão esquerda e pus-me a ruminar, como um boi logo após a castração.

Fato. O que é fato? Ora, é simples, fato é o que acontece na realidade, o que nossos sentidos percebem, diferente do ato que é o que fazemos em plena realidade, depois de perceber o fato.

A lógica me diz que o fato é concreto, portanto não é abstrato.

E o que seriam as vias? Nenhum mistério, vias são os caminhos, as ruas, ruelas, becos, avenidas, rotas aéreas, percursos siderais, andanças menstruais, vielas espermáticas e tudo isto e mais um pouco.

Vias de fato, portanto, são os caminhos para chegar à realidade concreta, coisa bonita e saudável, os psicopatas por exemplo movem-se por vias para chegar ao abstrato e, quase sempre chegam, mesmo que não exista o abstrato, entendo-se aqui o existir como sinônimo de ser.

Vias de fato deveria ser um avanço psíquico da humanidade, uma revelação e, em casos excepcionais, uma epifania.

Entretanto, usamos vias de fato para definir briga de verdade, com socos, pontapés e até facas.

Por que? Não sei e, como já disse, não sou de perguntar.

Resolvido o problema, cheguei às vias de fato comigo mesmo e esbofeteei minha bochecha direita, que ainda arde um pouco, mas não vou deixar por isto mesmo e daqui a pouco, por pura vingança, vou esbofetear minha bochecha esquerda.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: