Saltar para o conteúdo
16/10/2012 / Paulo Wainberg

Loco a escabeche

Jo siempre quis escrever um poema en espanhol.

Uno que se despregue do meu corazón,

que me acuerde uma canção,

revele mi frágil emoción

e desagregue qualquer ilusão.

 

Meu poema em espanhol

no seria un poema de amor,

cualquier que sea el tema,

jamás seria el amor, pero

enquanto espero

la razón de mi cantar,

só posso pensar no amor,

solo me basta el amor.

 

Un poema em espanhol

tiene que ter el viento

a trazer la nostálgia

de outro tempo,

inexorável saudade del amor

perdido en las fraldas del inverno.

 

Meu poema em espanhol

nunca será um soneto,

pois quando a poeta me meto,

rebagunço el guardassol da morena jambo,

transformo o poema em tango,

a comédia em tragédia y se fué,

para todo el siempre,

como uno que nunca volverá,

como la luna a minguar,

tus lábios dulces de leche,

tus manos a me acariciar,

y jo, un loco à escabeche.

 

 

 

 

 

One Comment

Deixe um Comentário
  1. Susana Freitas / Out 16 2012 17:43

    BOOOOOOOOOOOOOOM! Loco à escabeche arrasou!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: