Saltar para o conteúdo
25/09/2012 / Paulo Wainberg

Espermatozoides

Viver é muito melhor do que não viver. Se tiver alguma dúvida, pergunte aos bilhões de espermatozoides que perderam a corrida para você.

Não viver tem lá suas vantagens, por exemplo não precisar cuidar da saúde nem aprender inglês.

Entretanto, se você não viver, como vai saber que o sexo é bom? Que os filmes de Woody Allen são bons? Que Machado de Assis é bom? Que ser avô é muito melhor do que ser neto?

Por outro lado, não viver significa não se preocupar com o fim do mundo, mesmo que ele só ocorra daqui a dez trilhões de ano. Não viver é não se incomodar nem um pouco se a televisão estraga ou se a fila do SUS está grande.

Não vivendo, você jamais ouvirá palavrões como Sarney, Dirceu, Collor e Senado.

Outrossim (outrossim, há quanto tempo eu não usava essa palavra), vivendo você pode conhecer Paris, torcer para o seu time, entrar no facebook e ler a obra infantil completa de Monteiro Lobato.

Além de, eventualmente, escrever outrossim.

Os seus espermatozoides derrotados têm a vantagem de nunca assistir horário político e, com certeza, jamais cometeriam o anacronismo de censurar um pseudo racismo do Monteiro Lobato, proibindo suas obras quando seria muito mais inteligente e útil, explicar em que contexto certas expressões, corriqueiras na época, foram utilizadas pelo grande escritor.

Vivendo, você é obrigado a ler certas bobagens que certos colunistas de jornal publicam em suas colunas, a propósito de serem engraçados, originais e criativos.

Tudo bem, é um dos ônus de viver.

Eu, que ganhei a corrida e optei por viver, não costumo criticar ninguém, quando gosto, elogio, quando não gosto, nada digo. E se me perguntam, trato de achar uma resposta agradável.

Mas há um limite para tudo, e lendo um vendaval de ataques às mulheres, infundados e ridículos, sou, já que optei por viver, obrigado a criticar acidamente seu autor.

E é o que faço, com a qualidade de estar vivo.

E, vivo estando, quero afirmar que se existe algo que se possa chamar de sublime, é a mulher, com suas idiossincrasias, qualidades, defeitos e, sobretudo, a graça, o encanto e, pasmem os não vivos, a voz.

Pouca coisa, na natureza, é tão linda quanto a voz da mulher.

Esta é a maior desvantagem dos que optaram por não  viver, a impossibilidade de ouvir a voz de uma mulher.

Eu ganhei a corrida e tive que me esforçar muito, o que havia de espermatozoide atrás de mim era uma grandeza incontável. Fui mais rápido, mais forte e, provavelmente o mais alto. Campeão Olímpico.

Quando e se, algum dia eu for obrigado a morrer, realizarei o grande sonho de todo o homem masculino da espécie: Contar aos bilhões de espermatozoides vencidos por mim, tudo o que eles perderam.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: