Saltar para o conteúdo
25/07/2012 / Paulo Wainberg

Assassinos

Tenho pensado muito nessas ações enlouquecidas de atiradores aparentemente sem causa, que entram em escolas, cinemas, shoppings e quaisquer outros lugares públicos e disparam aleatoriamente, matando sem saber quem e tantos quantos puder.

Alguns fazem isto e em seguida se matam. Outros simplesmente se entregam e vão se defender na justiça.

Não consigo evitar uma relação com ditadores, homens que, no Poder, mandam matar os inimigos, não importa quem sejam. Seus soldados, sob o eufemismo clássico de cumprir ordens e servir à Pátria, invadem e matam, sem conhecer as vítimas, o que elas fazem e porque estão sendo mortas.

O que me leva à guerra, o morticínio consentido e organizado em que, por exemplo, dois amigos íntimos se aniquilam devido à farda que usam, bombas são atiradas sobre populações e, depois, celebrada a paz, os envolvidos lamentam oficialmente as atrocidades, não raro punindo seus generais, quase sempre os generais vencidos.

O que me faz pensar nos terroristas, que sob o manto de uma causa política, matam sem saber a quem, explodem locais públicos e, normalmente, morrem junto, auto-justificados por um ‘ideal’.

Não vejo diferença entre estas ações, acredito que elas simbolizam exatamente a mesma coisa: O ódio sem controle.

Neste último episódio, no Colorado, o assassino certamente estava atacando alguém ou alguma coisa que o ameaçava, mesmo que a ameaça fosse apenas um delírio esquizofrênico. A seu modo, ele agiu em nome de um ideal, considerando que a inexistência de um, não deixa de ser um ideal.

Sua defesa vai alegar insanidade momentânea ou doença mental, que tornou o rapaz incapaz de compreender a natureza criminosa do seu ato.

Não acredito nisto. Mesmo o mais perturbado e alienado dos criminosos sabe exatamente o que está fazendo, na hora que faz, e sabe também quais são as consequências que decorrem do que está fazendo.

Pinochet, um dos mais sanguinários ditadores da histórias, ordenou a morte de mais de dez mil pessoas, confinadas no Estádio Nacional de Santiago, ali presos como inimigos do Estado, quando essas pessoas eram, na verdade, inimigas da ditadura. Justificou-se por décadas e amealhou uma fortuna absurda que o seu soldo de General jamais atingiria.

A primavera árabe revelou ditaduras cruéis, discricionárias, homicidas que os povos árabes ainda não conseguiram superar.

A quantidade de mortos na Síria e no Iraque são superlativas perto da tragédia do Colorado, mas a comunidade internacional compreende aquilo e se espanta com isto.

Acredito que, seja qual for a circunstância, a causa da violência é o ódio, um dos mais poderosos sentimentos humanos que exige um constante esforço individual para ser controlado.

Sádicos e masoquistas não são irracionais.

Assassinos, ditadores, terroristas, homicidas de trânsito, criminosos de guerra, traficantes de drogas e estupradores, não são irracionais.

Indivíduos não são irracionais, o povo costuma ser. Cada assistente de uma execução pública acha aquilo um horror, mas a massa se reúne, furiosa e excitada, para assistir o espetáculo.

Tais coisas afetam tanto o nosso dia a dia que chegará o tempo em que saudaremos viver um dia do jeito que der.

2 comentários

Deixe um Comentário
  1. neusa fabricio / Jul 28 2012 13:09

    Meu amigo, resumo dizendo: o sr. é muito bom!Bom finde.Abs fraterno.

    Gostar

  2. lista de email / Ago 13 2012 7:44

    your website looks like an encyclopaedia that teaches us several things. lista de email lista de email lista de email lista de email lista de email

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: