Saltar para o conteúdo
24/07/2012 / Paulo Wainberg

Novíssimos desígnios da paixão

Paixão eterna e inesgotável só sobrevive à distância.

Paixão que se consuma é paixão que se consome.

Einstein ainda tem razão: Uma hora de espera para o encontro dos apaixonados leva muito mais tempos do que uma hora juntos.

O apaixonado espera horas o telefonema e, quando ele vem, é da mãe dele.

A mulher apaixonada é impaciente com os filhos.

Quando apaixonados roçam as mãos é como se fizessem sexo.

Apaixonados não fazem sexo nem amor. Fazem um Big-bang.

Quem nunca se apaixonou que jogue a primeira pedra no telhado do vizinho.

Morrer de paixão é estar mais vivo do que nunca.

2 comentários

Deixe um Comentário
  1. liana elman / Jul 24 2012 17:37

    Que lindo Paulo!!!! Estavas inspirado….Acho, apenas, que deve-se viver a paixão ! MARAVILHO.PARABÉNS. BJS LIAEL

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: