Saltar para o conteúdo
23/07/2012 / Paulo Wainberg

Ecológico

Viu à beira da estrada uma cartaz dizendo: PRESERVE A NATUREZA.

Seguiu adiante, pensando na forma de cumprir a ordem e teve a ideia. Estacionou o carro, desceu e, durante cinco minutos, acariciou o capim nativo que ali crescia, falando palavras de estímulo e bondade, simbolizando nele a totalidade da natureza que devia preservar.

Voltou, satisfeito com sua corretice política e com o bem que fizera à Natureza, ligou o motor e deu a partida.

Andou poucos metros e parou, acometido por insuportável coceira nas mãos.

Quase arrancou a pele, de tanto coçar.

Com tristeza concluiu que não era capim, era urtiga.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: