Saltar para o conteúdo
02/03/2012 / Paulo Wainberg

Votos

Queria ter um manancial de putas fiéis, que o seguissem e lhe satisfizessem os desejos, sem pejos. E quando quisesse estar sozinho, saíssem quietas, sem perguntas indiscretas, sem queixas, bem treinadas gueixas.

Queria ser o rei do bordel, onde putas a granel lhe servissem as fantasias, todos os dias, e que a toda semana, lhe trouxessem putas novas, uma paraguaia, outra peruana.

Queria ser o cafetão do puteiro, recolhendo dinheiro, com cara de mau, nariz de cangaceiro, corrente no pescoço, relógio altaneiro, paletó branco batendo nas putas com tamanco.

Queria uma mulher para amar, beijar e honrar, que lhe desse um filho e duas filhas, que lhe esquentasse a noite com abraços e açoite e, nas noites de verão, jogasse cartas na mesa, com a comadre e o compadre, ao som de um violão suave, entoado sem alarde.

Mas não podia. Era padre.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: